Quinta-feira, 21 de Novembro de 2019
Formação pessoal e profissional

Experiência anterior, comprovada e registrada

Verificar, comprovar e avaliar experiência de candidato a posto de trabalho não é a única parte de um processo seletivo. E, ainda que a comprovação da experiência resulte em certezas e verdades altamente positivas, as mesmas não garantem adequação.

Publicada em 12/08/19 às 15:47h - 108 visualizações

por José Carlos de Oliveira


Compartilhe
   

Link da Notícia:

Toda vez que preciso elaborar e divulgar relação com vagas de trabalho cujo preenchimento está sob meus préstimos profissionais, atento para não acrescentar aos possíveis erros o de dizer e escrever “experiência anterior.” 
Apesar de comum, é deslize cuja eliminação deve ser gradativamente almejada, trabalhada e alcançada. Assim como, por exemplo, “descer para baixo”, “sair para fora” e várias outras que, ao menor descuido, podem vitimar pessoas com conteúdo marcante e capazes de comunicar com qualidade.
São consideráveis as possibilidades de ocupar postos de trabalho sendo tido por inexperiente, e a inexperiência eventualmente é até preferencial:  desde que não apareçam obtusidade, discriminação e má vontade por parte de quem seleciona e de quem contrata; e que o candidato inexperiente, tal como o experiente que vale a pena contratar e manter, apresente outros e mais importantes predicados. E são consideráveis as possibilidades de perder para a concorrência com apadrinhamentos infames: quando não importa se o contratado é vadio, incompetente, inadequado e furta a vaga de quem deveria ocupá-la; isto, quando a própria vaga é necessária...
Porém, se um posto de trabalho por preencher exige experiência, defina-se e divulgue-se com clareza qual e com que intensidade. E, por óbvio, não se escreva ou fale que há de ser anterior, posto que, posterior ou futura é que não será!…
Quase ninguém percebe e tampouco leva a sério estas ponderações. O que lamento: pequeninos aprendizados a melhorar gradativamente os mais simples hábitos são capazes de construir pessoas e profissionais mais interessantes.
A exigência de experiência pode  gerar acalorados  embates entre  candidatos interessados num posto de trabalho e os selecionadores de pessoal ou empregadores. Se há a exigência de determinada, exata ou aproximada experiência por parte de candidato interessado em dada vaga de trabalho, também a palavra “comprovada” é totalmente dispensável. Assim como a comprovação da experiência é indispensável e questionar isso é suficiente para perder o interesse no candidato que se dizia e parecia ser qualificado.
Verificar,  comprovar  e  avaliar  experiência de  candidato  a  posto de trabalho não é a única parte de um processo seletivo. E, ainda que a comprovação da experiência resulte em certezas e verdades altamente positivas, as mesmas não garantem adequação ao posto de trabalho: qualificação e adequação rimam, mas, não são sinônimos. Qualificação, por vezes, pode aparecer em níveis para além do que o contratante quer ou pode ter, ou, ser intensa n’alguns aspectos e não tanto n’algum ponto fundamental para aquela empresa, naquele momento.
A exigência de experiência comprovada via registros em Carteira de Tra-balho, se levada aos rigores que não permitem transigências, pode promover injustiças e desperdícios para com a empresa que poderá perder o acréscimo de um colaborador interessante, marcante e até notável e diferenciado; e para com o candidato que é tão qualificado e adequado quanto a necessidade do contratante, porém, foi descartado, só porque não tinha os benditos registros em Carteira…
Milhões de excelentes profissionais não tiveram e não terão algumas ou todas as suas experiências registradas em CTPS. Quando é possível, tento sensibilizar empregador a fazer concessão e abrir mão da exigência de experiência registrada: se o candidato tem características, pretensões e qualificações que convergem para a adequação ao posto de trabalho ora aberto, então, a falta de registro em carteira tende a ser insignificante. E a falta do registro se resolve assim: contrata-se o candidato e aplica-se o registro em sua Carteira de Trabalho!

José Carlos de Oliveira - consultor de recursos humanos  



ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
14/11/19 - Comunicação Eles
14/11/19 - Comunicação Vamos voltar a comunicação raiz?
14/11/19 - Comunicação Não acredite cegamente em nada!
14/11/19 - Formação pessoal e profissional O CHA da Competência






Nosso Whatsapp

 (41) 99844 8018

Copyright (c) 2019 - radioplena.com.br - Para quem é notável pelo que é, e não pelo que faz de conta ser!