Domingo, 31 de Maio de 2020
Saúde, segurança e educação

O retorno dos Consultores em Dependências Químicas

Esses profissionais eram inicialmente ex-usuários de substâncias psicoativas e, inicialmente em 1989, como Agentes de Saúde em Alcoolismo, mais conhecidos como “ASAS”.

Publicada em 18/03/20 às 11:01h - 37 visualizações

por Moisés Silva Wachanski


Compartilhe
   

Link da Notícia:

Esses profissionais eram inicialmente ex-usuários de substâncias psicoativas e, inicialmente em 1989, como Agentes de Saúde em Alcoolismo, mais conhecidos como “ASAS”.  Mais tarde, com o aumento do consumo de outras drogas e com uma maior capacitação, passaram a ser chamados de Consultores em Dependências Químicas.   
Desenvolviam atividades como: visita domiciliar, grupos de apoio, realizavam palestras preventivas em escolas, igrejas, empresas, enfim, onde fossem solicitados; também davam suporte à desintoxicação que anteriormente era realizado em unidades de saúde e atuavam como facilitadores para encaminhamentos para Caps, hospitais e comunidades terapêuticas.
Os profissionais possuíam vínculo empregatício com uma instituição chamada Associação Brasileira dos Agentes de Saúde em Alcoolismo e Consultores em Dependência Química que os capacitava através de cursos realizados pela mesma ou em parceria, geralmente, com a Universidade Federal do Paraná, sendo o curso reconhecido pela Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, a qual mantinha um convênio com a instituição que era renovado anualmente.
Essa parceria durou de 1989 a 2013, quando, em novembro daquele ano, o convênio não foi renovado devido a uma decisão do Ministério Público do Trabalho em não aceitar parcerias entre a Secretaria de Saúde e demais instituições, acarretando inúmeras demissões aos funcionários de diversas instituições. Outro problema: a população usuária de substâncias psicoativas ficou desassistida por esse profissional que era elo de ligação da população usuária e os demais serviços existentes na rede.
Diante disso, se propõe o retorno desses profissionais com a criação do cargo na Fundação Estatal de Atenção a Saúde e contratação através de Processo Seletivo Público ou Processo Seletivo Simplificado, desde que apresente Certificado ou Diploma de Curso em Dependências Químicas com carga horária de, no mínimo, 400 horas, e de entidade idônea, como, por exemplo: Consultor em Dependências Químicas ou Técnico em Reabilitação de Dependentes Químicos. Esse profissional seria designado um para cada equipamento de saúde, sendo supervisionado por um profissional de nível superior no local de trabalho, designado pela coordenação do equipamento. 
Concluindo, com a inclusão desse profissional seria atingida uma importante parcela da população que está à margem das políticas públicas de saúde e com dificuldade de acesso; um profissional que muito contribuiu com a recuperação e reinserção de muitos usuários de substâncias psicoativas.

Assistente Social, Especialista em Saúde Mental CRESS 8825 PR
 
 




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
22/05/20 - Cidadania e Política Regimes de governo
12/05/20 - Desenvolvimento sustentável e sustentabilidade A água no Brasil: da abundância à escassez
06/05/20 - Formação pessoal e profissional Emprego e trabalho






Nosso Whatsapp

 (41) 99844 8018

Copyright (c) 2020 - radioplena.com.br - Para quem é notável pelo que é, e não pelo que faz de conta ser!